Anderson Caio Rodrigues Soares

Nascido em Belém do Pará em 22 de abril de 1929 formou-se pela primeira vez em Engenharia Agronômica em 1954 na antiga Escola de Agronomia da Amazônia. Em 1955 transferiu-se para Manaus onde exerceu o cargo de pedólogo no INPA – Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – fundado por aquela época. Em 1958, transfere=se para Santarém, onde foi professor de Botânica Aplicada à indústria madeireira. Em 1960 presta concurso, aberto pela Petrobras conseguindo aprovação para um curso de pós-graduação em Geologia de Petróleo em convenio com a Universidade Federal da Bahia, graduando-se em 1962. 

Em 1972 vai para o Projeto Radam – Radar na Amazônia – destinado a obter imagens de radar do território, inicialmente da Amazônia, ampliando-se posteriormente o trabalho para todo o território brasileiro.

Foi professor de Estratigrafia na Universidade Federal do Pará entre 1972/74  e geólogo de campo na Companhia Baiana de Pesquisa Mineral, CBPM. Volta à Petrobras  em 1985 onde completa seus estudos sobre a Bacia do Recôncavo e se aposenta em 1990.

Foi um geólogo comum, como tantos outros que trabalharam na Petrobras. Dessa data em diante, até hoje, trabalhou para responder às perguntas:

1. Por que a geologia é uma matéria tão difícil?

2. O que é o petróleo?

Conseguimos as respostas, e elas poderão ser conhecidas a quem se interessar pelo assunto e se der ao trabalho de ler o resultado da pesquisa.